domingo, 7 de setembro de 2008

Solidão feliz.


Às vezes ela se vai assim, sem avisar, como se fosse uma ventania rápida que arrasta as folhas secas do chão e estremece as árvores do bosque, deixando qualquer coisa bagunçada pra trás. Às vezes ela volta assim, sem avisar, como tempestade em dias ensolarados de verão ou como um borboleta que pousa no ombro de alguém... Às vezes ela resolve ficar descalça, sentir a terra, pôr os pés no chão numa tentativa interminável de sentir-se segura perante à vida, estável perante o tempo. Ela só quer enxergar em si a felicidade que tanto dizem que existe, ela só quer cantarolar durante uma tarde de outono, escutar uma música inesperada no rádio indo para o trabalho, colocar aquela saia confortável de que tanto gosta, usar suas sapatilhas cor-de-pele e dançar uma valsa com sua gargalhada verdadeira. Ela não quer viver pela metade. Isso a angustia. Que seja errado, mas que seja até o final. Se ela tem curiosidade, ela a mata. Se ela tem alguma regra, ela a quebra. Ela quer mais sol. Ela quer mais lua cheia. Ela quer mais praia, mais cachoeira, mais mato, mais pessoas sinceras... Ela quer mais da vida, e por mais que a vida lhe dê tudo, sua sede lhe é sempre insaciável. Insatisfação contínua... não, ela não quer mais isso. Se castiga. Se prende. Indomável e insuportável pensamento, insiste em ser incrédulo diante de tudo que lhe aparece à frente. Ou é burro e se finge de cego, ou é inseguro e posa de inteligente. Interessante interesse que ela tem sobre o que não tem interesse, estranha estranheza sobre tudo que é normal aos olhos dos que enxergam. Ela não sabe lutar. Ela não tem força. Ela até queria ter, mas, todos os dias quando acorda, se descobre fraca, e a força antes contida é disspidada sabe-se lá praonde. Sim, ela sente que um dia vai mudar. Não se sabe quando, nem onde, nem com quantos anos, ou em que momento, mas ela sabe que a partir de um ponto em sua vida nada será como antes. Mas, enquanto isso, ela espera, indo e voltando, se mostrando e se escondendo.
. Aprendendo a achar felicidade na solidão . . .

27 comentários:

Geisi disse...

É só um momento de nostalgia, isso passa. Se dizem que vc é forte, feliz e derivados, é porque você é. E ponto. A solidão é triste, chata, mas às vezes é ótima. Encontre o lado bom dela ;)

Tava sentindo falta dos seus textos!

Bjaum.

Thi disse...

Interessante interesse que ela tem sobre o que não tem interesse.

que frase bonita, pensativa, verdadeira.
acho que todos temos um pouco disso né.

bem..belo texto espero, espero mesmo, que não seja uma rápida auto-biografia.

:/ (carinha q nao é de msn)

beijos juh
;*

Allie disse...

Juliaana!

Confesso que não li o texto, estou meio sem tempo no momento, mas eu vou ler! eheheh

passei pra dizer que você é incrivelmente liiiiinda! e que eu adoro seu trabalho! =D

bjaao :*

Thaty™ Boop disse...

Sim, na solidão há felicidade... assim como em qse tds outros sentimentos.
Estar na solidão é um momento de introspecção onde se pode ouvir o q o coração e a razão já cansaram d gritar, em vão... pois estávamos tão envolvidos com tantos outros q esqueciamos d nós mesmos, nossos anseios e vontades.
Mas, nesse mergulho a nós mesmos, nos deparamos não só com as coisas boas, mas tbm com q a gnt sempre temeu e por isso preferiu enconder no mais profundo do nosso ser...
E pra enfrentar o q estava escondido é preciso ter audácia, vontade...
e vc diz:'Ela não sabe lutar'. Mas acredito q não seja falta de saber. Porém, um momento d fraqueza. Qm foi q disse q se tem q ser forte tds os dias??? qm foi q disse q é necessário viver em constante combate pra se saber lutar??
Dê um tempo a ela, trate com mais cuidado e procure dar mais ouvidos àquela q 'espera, indo e voltando, se mostrando e se escondendo...'.
Talvez, ela só esteja tentando se fazer perceber.


Bjinhus*

PAXetBEN

Amanda Boer disse...

Seus textos sempre me fazem pensar bastante. Acho que vêm de alguém muito forte, que tem muito a oferecer.


Beijos ;*

IgorSouza disse...

Pois é,
dependendo do seu contexto, a solidão pode ocorrer de forma positiva, na qual em alguns intervalos de tempo, nos voltamos para nós mesmos em um momento de auto-conhecimento e reflexão. Já a forma negativa, vejo como solidão no campo afetivo, aquela famosa sensação de que simplesmente alguém está faltando... e então você começa a se questionar o motivo, e depois disso só piora.
Você começa a observar as pessoas ao seu redor e percebe o quanto o mundo é diferente, o quanto as pessoas se preoculpam cada vez mais com o desnecessário. Então você se percebe em uma realidade na qual cada um vive em função de si mesmo, e que os que não pensam como a coletividade estão condenados a viver em solidão.

Muita paz!

Karla disse...

Juh ;*
o que é atuar pra vc?

Alonso Zerbinato, 20 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thi disse...

faz falta.

Rodrigo Almeida disse...

Bom texto, também estou numa solidão, só que minha solidão está sendo muito infeliz.


Bjaum JU

rodrigosouzaalmeida.blogspot.com

julia disse...

"Vou te contar
Os olhos já não podem ver
Coisas que só o coração pode entender
Fundamental é mesmo o amor
É impossivel ser feliz sozinho

O resto é mar
É tudo que eu não sei contar
São coisas lindas
Que eu tenho pra te dar
Vem de mansinho a brisa e me diz
É impossivel ser feliz sozinho

Da primeira vez era a cidade
Da segunda o cais e a eternidade

Agora eu já sei
Da onda que se ergueu no mar
E das estrelas que esquecemos de contar
O amor se deixa surpreender
Enquanto a noite vem nos envolver

Vou te contar
Os olhos já não podem ver
Coisas que só o coração pode entender
Fundamental é mesmo o amor
É impossivel ser feliz sozinho

O resto é mar
É tudo que eu não sei contar
São coisas lindas
Que eu tenho pra te dar
Fundamental é mesmo o amor
É impossivel ser feliz sozinho

Da primeira vez era a cidade
Da segunda o cais e a eternidade

Agora eu já sei
Da onda que se ergueu no mar
E das estrelas que esquecemos de contar
O amor se deixa surpreender
Enquanto a noite vem nos envolver

Da primeira vez era a cidade
Da segunda o cais e a eternidade

Agora eu já sei
Da onda que se ergueu no mar
E das estrelas que esquecemos de contar
O amor se deixa surpreender
Enquanto a noite vem nos envolver"
(Tom Jobim)

julia disse...

oi juliana, a primeira coisa que me veio na cabeça foi esse musica do tom jobim, com uma letra muito bonita! acompanho sempre seu trabalho e tenho uma curiosidade enorme em saber mais de voce, sabe como são os fãs né? hahahah mas enfim, libera as fotos do orkut pra nós vermos :) fica em paz juliana, não esquece que tudo que passamos são para crescermos como pessoas!

Nah Michelon disse...

Nossa eu tava lendo seus textos e particularmente adorei..
Belo blog.. Sucesso sempre

Beeijos

Joao disse...

Se não der certo como atriz, como escritora tá garantido.
hehehe

Como dizia James Joyce em sua comparação entre jornalistas e escritores, "jornalistas escrevem coisas banais sobre fatos extraordinários, enquanto escritores escrevem coisas extraordinárias sobre fatos banais".

Não há outra palavra para esse texto, extraordinário.

Já disse aqui uma vez como escreves bem.

Devias escrever mais! (também já disse isso)

Abraço!

Joao disse...

Ah, agora comentando sobre a felicidade na solidão.

Claro que existe, acredito que a verdadeira felicidade só se encontra só.

Felicidade de verdade é aquela que não depende de nada nem ninguém, é por si só.

E vendo seu sorriso, acompanahndo as fotos no seu fotolog, você deve estar muito feliz.
Então, continue assim!

Abraço!

marcioobranco disse...

Ju, se for realmente você que lê estes comentários (e espero que seja), aqui quem fala é um velho amigo, de nossa querida Niterói, do prédio da vó Raquel... o Márcio!
Querida, infelizmente, perdi teus contatos! Soube que o telefone de Niterói não vale mais...
Bom, seja como for, vou deixar meus contatos abaixo, para que possamos nos falar novamente!
Saudades enormes de ti!
Beijos grandes!
Márcio Filho
marciofilho@gamesfestival.com.br
21 22627851

Esthella disse...

É você mesma?!!! Que honra.
Oi Ju...
Odoro seus textos, adoro sua atuação e sou muito sua fã.
Me emocionei com o que escreveu nos seus posts em geral.
To amando sua atuação como Manu na novela Chamas da vida.
Parabéns.
Vc tem msn? Se puder, me add no seu plis *-* o meu é : hermionethethe@hotmail.com
Te adoro.
Bju

Amanda Boer disse...

Queremos novos posts Ju!

alexsandra disse...

oi ju gosto muito de vc....
eu tenho vc no orkut mais ñ sei se é vc..
me add no msn:alexsandra-mn@hotmail.ocm
ou no orkut:alexsandra_bleza@yhaoo.com.br
te adolo muito xarinho xau até logo ficar cm Deus e muito saucesso...

Marcelo disse...

Bom , primeira vez que entro em seu blog.. =]
Sempre que te via na tv pensava:
- Nossa, ela tem uma cara de ser chata, frescaa...
.. mas depois que li alguns dos seus posts mudei completamente minha opinião sobre você ! =]

Seus textos me fizeram pensar em coisas que geralmente a gente esquece , mas que são importantíssimas!
Vou começar a passar sempre por aqui!

Beijos, sucesso!

Joyci Dias disse...

Solidão é ruim, mas é tão bom o sentimento que vem depois, ao (re)encontrar aquele pedaço que faltava.
Ju, saudades de ler seus post's maravilhosos... abandonou aqui, foi? *-*
Normal, eu muitas vezes abandonei meu blog... mas eu sempre volto, às vezes a gente precisa de um cantinho onde só as nossas palavras conseguem nos entender.

Beijo grande, Juliana.
Você é maravilhosa...;*

Rodrigo Moreira disse...

Belissimo texto. Eu as vezes quando estou só, eu fico muito triste, e por mais que eu faça as coisas que eu mais gosto, ainda assim nesses periodos de solidão, me dá a impressão de estar faltando algo, que me deixe feliz.

E de três semanas pra cá, quando tenho tempo, estou sempre acompanhando a novela Chamas da Vida, em especial a sua personagem, que é sensacional, assim como as demais, que você interpretou na Globo.

Você é maravilhosa!!!

Sucesso na carreira, muita saúde, muita paz e felicidade pra você.

E como diria o saudoso locutor esportivo Fiori Giglioti:

Um beijo no seu coração!!!

Rodrigo Moreira
rodrigo677296@gmail.com

Thais disse...

Oi Juliana!!

Sempre passo por aqui para ler suas postagens, porém este é o primeiro comentário que faço.
Acho encantadora a maneira que você usa as palavras... é bem profunda e sempre tem algo a ver com coisas que acontecem em nossas vidas.
Sei que sempre deve ouvir isso mas não posso deixar de lhe dar os parabéns pelo seu trabalho como atriz. Espero que continue assim, melhorando a cada dia, e desejo a você muita felicida e emuitas realizações.
Olha, não demore muito tempo pra postar outro texto, ok! rsrsr.
Que Deus te abençôe e te guie sempre!!
Beijos..

Guilherme.... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Guilherme.... disse...

Talvez pelo fato de você nunca estar sozinha...
Sabe o que descobri nesse período megaaaaaaaa tenso que passei?
Descobri que nós somos as pessoas mais importantes pra nós mesmas... sem egóismos e afins.. mas se isso acontecer, não existe solidão!
Cada um à seu tempo...
Obrigado por tudo sempre...
Amo você!
Bjão

Gui

yasminfaesy disse...

aah Ju, continua postando, adoro seus textos, você escreve muito bem. beeijos

Guilherme.... disse...

Forte...
Forte e triste.. Áfinal, fala de sinestia com tom de derrota...
Mas no fim, só perde quem se entrega... eu diria que é uma pena... mas enfim, cabe à cada geral ponderar e questionar as avarias e as descabeladas baixas...
Talvez ainda reste uma ou outra desculpa pela guerra perdida pela falta de apego.. não à bandeira.. mas ao suposto amor pela pátria que contraria a maior lei natural que conhecemos: a importância da vida.