quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Entre folhas secas


Perambulo pelo bosque de folhas secas mortas marrons sob um céu cinzento e uma chuva quente
Minhas costas suadas minha cara pintada minha boca melada dá risada do que eu não sei
Minha língua de cortes secos do gosto amargo pardo que a solidão tem me dado
Gruda e cola áspera no céu da boca - que de céu não tem nada-
E roça na dor do incômodo e na falta do salivar de cachorro
Meus peitos pontudos que minha postura faz olhar para o chão são já melancólicos
E a dor precoce da menina mulher me é furacão e me arranca as raízes dos sentidos
Entre pedregulhos pontudos e pés ando como quem cambaleia ao vento
Meu batom vermelho sangue borrado e meus olhos escorridos de vazos dilatados
Formam nas águas da natureza e da dor um elo harmonioso e belo de cor
Meus cabelos longos molhados batem pesados no meu pescoço cor de leite
E o calor abafado do chão me sobe pelas pernas fracas e sem rumo
Me dispo por inteira com meu rosto em direção às nuvens ou à qualquer coisa que possa cair do divino - se é que por ser divino pode-se cair -
E entrego meu corpo minha nudez minha alma e algum resquício de lucidez
À esta luz forte branca que existe lá em cima e que apesar de me cegar por completo
É chamada de paraíso.

3 comentários:

adm: thi disse...

que texto perfeito Juzita.
vou fazer uma editora e publicar suas crônicas e textos derivados.
kkkkkkkk

quanto tempo hein :(

beeeeeeeeeeeeeeeijo Ju!!!!

jessicadeverdade disse...

Coisidência encontrar teu blog linkado num blog onde o meu tb está...rs
Tu escreve muito bem menina.
Parabéns
té mais

Joyci Dias disse...

Olá Juliana... não seria nenhuma novidade se eu dissesse que admiro MUITO a forma que você escreve, o jeito que tem de se expressar e de se evadir!
Apesar de ter plena consciência de que não sou e nunca serei a única.
Mas acho válido vir aqui te deixar os meus parabéns, tanto pelo o que escreve, tanto pelo jeito como atua, tanto pela pessoa que você é!

Eu só tenho uma coisa a dizer... Obrigada por existir e ser diferente! Não deixar os problemas, as dificuldades da vida te igualar as pessoas e mesmo sendo tão (positivamente) diferente.. ser tão humilde!

Te admiro JULIANA!
Como atriz, como 'escritora' (posso dizer assim né?) e principalmente como pessoa.


Joyci;*