sexta-feira, 14 de maio de 2010

Alice

Quem é essa que chora
De barriga de fora
E gira sem forma
Como um frango de padaria
Uma artista ou um produto
Que se enrola numa faixa
E se entrega cheio de graça
Aos bares, festas e casas

Quem é essa que foge
Que por não se jogar da janela
Se joga fora
Ela se leva embora
Palidamente em branco
Sem estampa
Se tampa

Quem são essas duas olheiras
Que por ela não olham
Essas unhas, esses cabelos
Esses dentes
Que olham, pedem, exigem
Pidões!

E essa ela que não é?
E morre de medo do que pode ser?
Quem sou essa que não sabe?
Que discurso é esse que sou?
De onde surgiu tanta palavra?
O que faço com o não que dou?

O sonho já se embolou com tantos sonhos
Que tem dúvidas de que sonho é (ou são!).

-

5 comentários:

Ma's disse...

adorei juh! muito bom! Ta de parabéns... beijo pra ti ;*

Filipe disse...

Muito bom mesmo! Por acaso, Alice, é o nome da rua do espaço kreatori onde terá "Um ensaio Aberto". hahaha. Ah! Parou com o formspring? Beijo!

Le Savoldi disse...

Acho lindo esse nome. "Alice" de muitas Alices... Linda poesia, estrela!

CorVo disse...

Anda inspirada hein? Legal! Já pensou em escrever um livro? Caso a resposta seja positiva me avise pra mim comprar. Até mais, Beijo!

gugupeixoto disse...

incrível